Por que você deve se pagar em primeiro lugar – não importa o que aconteça

Tempo de leitura: 4 minutos

*Por Gustavo Rigon

“O rico investe o seu dinheiro e gasta o que sobra. O pobre gasta o seu dinheiro e investe o que sobra.” (Jim Rohn)

Saudações!

Este é o primeiro de três artigos que devem guiar o racional de todo Investidor de Sucesso.

Em regra, para investir é preciso poupar. Caso você não tenha determinação de deixar de consumir algo hoje para que, no médio-longo prazo, tenha condições financeiras de consumir muito mais, esse artigo e todos que escreverei não são para você. Para ser bem-sucedido você precisa ter uma cultura de poupador. E isso não é negociável.

Quando falo poupador não me refiro àquela pessoa sovina que sacrifica de maneira desproporcional a qualidade de vida economizando até os centavos do cafezinho. Não, longe disso! Seja razoável.

Como começar a se pagar em primeiro lugar

Poupe entre 10 e 20% dos seus rendimentos mensais. Para facilitar, faça disso um hábito, uma rotina mensal. Pense como se fosse um boleto a ser pago todo começo de mês ao ativo mais relevante que existe. Você!

Note o detalhe: começo de mês! É vital para suas finanças que esse pagamento aconteça antes de todos os outros. Experiência própria, só dessa forma realmente funciona.

Robert Kiyosaki, em seu ótimo livro Pai Rico, Pai Pobre, explica claramente a importância de você se pagar em primeiro lugar:

“Acredito firmemente em pagar minhas contas no prazo. Só que eu pago a mim mesmo em primeiro lugar. Mesmo antes de pagar ao governo.

— Mas o que acontece se o senhor não tiver dinheiro que chegue? — retruquei. — O que o senhor faz então?

— A mesma coisa — prosseguiu pai rico. — Primeiro pago a mim mesmo. Mesmo se tiver pouco dinheiro. Minha coluna de ativos é muito mais importante para mim do que o governo.

— Mas — continuei — eles não vão atrás do senhor?

— Está vendo, depois de pagar a mim mesmo, a pressão para pagar meus impostos e os demais credores é tão grande que me obriga a buscar outras formas de renda. A pressão para pagar se torna uma motivação. (…). Se eu deixasse para me pagar no final, não teria sentido as pressões, e estaria quebrado.”

(Não deixe de conferir o artigo Como fazer o dinheiro trabalhar para você em 2017 – com 8 inspirativas de Pai Rico, Pai Pobre)

Mais importante do que estudar por horas e horas os balanços de empresas ou de tentar adivinhar qual será a próxima Apple é o simples fato de conseguir gastar menos do que recebe no mês. Se você já tem essa capacidade, meus parabéns, pertence a uma parcela irrisória da sociedade brasileira.

O método do seu próprio boleto

Seu próprio boleto

Caso não consiga, siga este método. Funciona bem demais. Basta criar o hábito e ter disciplina. Faça chuva ou faça sol, o seu “boleto” precisa ser quitado. Os frutos serão colhidos muito antes do que imaginam. Aconteceu comigo.

Eu não sabia investir. Não sabia nem quais eram as opções de investimentos que existiam. E se não investia, gastava. Resultado: não poupei um mísero centavo nos primeiros vinte e três anos de vida. Se arrependimento matasse…

Ao terminar de ler Pai Rico Pai Pobre coloquei uma coisa na cabeça: Vou aplicar esse método de me pagar todo começo de mês custe o que custar. Dito e feito. Contratei uma previdência privada, estipulei o valor que eu conseguia pagar (R$ 300,00) e optei por vencimento dia 05.  

No meu caso eu tinha consciência que era necessário algo metódico que não permitisse sabotagem, era preciso literalmente um boleto. Por isso a escolha.

A partir de um determinado momento ficou tão automático o pagamento do boleto que já tratava como despesa. BrasilPrev dia 05, condomínio dia 07, Net dia 10. O pagamento durou pouco menos de quatro anos e o resgate foi de R$ 17.794,22. Detalhe: rendimento de previdência privada é bem fraco. Fico só imaginando se tivesse investido R$ 300,00 por mês em ações do Itaú. Se arrependimento matasse 2…

Mas tudo bem, o intuito desde o começo nunca foi obter o melhor retorno e sim incorporar em mim uma das primeiras grandes lições que tive na vida: cultura de poupador. E lá se vão doze anos..

Importante: começar a se pagar já

Isto posto, cabe somente a você escolher entre riqueza ou pobreza. E uma coisa é certa: quanto antes iniciar o processo de poupança, menor será o esforço de depósito e mais cedo virão as recompensas.

No próximo artigo tratarei da segunda grande lição para se tornar um investidor de sucesso: O milagre dos juros compostos e o poder do tempo nos seus investimentos.

Grande abraço,

Gustavo Rigon

Gustavo Rigon
*Gustavo Rigon é colunista e escreve semanalmente para este blog e para a newsletter Investidor de Sucesso.