Por que não investir na poupança

Tempo de leitura: 4 minutos

 

por que não investir na poupançaSe você tem acompanhado os principais jornais do país e está atento às notícias de economia, já deve ter percebido que o cenário não é dos melhores para quem escolheu a poupança como opção de investimento.

Não é novidade que, assim como acontece outras aplicações de renda fixa, a poupança é usualmente um tipo de aplicação menos rentável do que outras modalidades mais arrojadas, no entanto, o cenário que se desenhou este ano foi desolador. Listamos aqui os principais motivos pelos quais não investir na poupança:

Os números comprovam: não há ganho real

Os números levantados até o início de dezembro comprovam que quem opta pela poupança apenas está perdendo menos dinheiro do que se tivesse deixado o mesmo valor parado na conta corrente.

Isso porque a inflação alta superou a rentabilidade da poupança em 2015. Foram 10,48% de aumento no IPCA (índice de preços ao consumidor amplo) contra os meros 7,95% de rentabilidade anual proporcionados pelo investimento. A rentabilidade real da poupança ficou em 2,29%. Esse é o pior resultado da poupança desde 2003!

Durante o ano, a caderneta teve resultados positivos só nos meses de julho, agosto e setembro. Na prática, tem muito mais gente retirando dinheiro na poupança do que investindo nela. No mês de outubro, por exemplo, o total de acumulado dos dez primeiros meses registrou uma retirada líquida de R$ 57 bilhões. Em novembro, o rendimento registrado foi de 0,38% negativo.

Opções de investimentos mais rentáveis

Em vez de deixar seu dinheiro “dormindo” na poupança, você deve investir em outras opções de investimentos muito mais rentáveis, onde é possível fazer 2%, 3% e até 4% ao mês. Depois de saber mais sobre esses investimentos você vai entender melhor por que não investir na poupança. Veja:

Fundos imobiliários (FII’s):

Optando pelos FII’S você pode adquirir cotas de imóveis negociados na bolsa de valores, que podem ser comerciais, residenciais, lojas, galpões, universidades, entre outros. Sendo dono de uma fatia desses empreendimentos, você recebe mensalmente o valor adquirido com o aluguel dos imóveis, além de receber a sua parte quando o imóvel for vendido. É possível começar a aplicar a partir de R$ 100 mensais. Essa modalidade de investimento atualmente conta com isenção de IR para o recebimento mensal do aluguel. Saiba mais aqui.

Ações:

Investir em ações não é tão difícil quanto parece para a maioria das pessoas. É claro que você precisa aprender melhor como o mercado funciona, mas com técnicas simples você pode aprender rapidamente a escolher boas ações e obter bons rendimentos. É possível começar a investir com apenas R$ 400 por mês. Veja dicas para escolher boas carteiras de ações.

Forex:

Outra opção com boa rentabilidade é o mercado de Forex, onde os investidores lucram com a diferença entre a compra e venda de moedas estrangeiras. É uma modalidade mais arriscada, mas não há muito mistério se você dedicar algumas horas no mês para aprender. Veja aqui 7 coisa que você precisa saber para investir em Forex.

Um ponto percentual pode ser muito

É importante observar que apenas 1%, 2% ou 3% de rentabilidade a mais por mês pode significar muito para a sua independência financeira. Muitas vezes é esse percentual que vai diferenciar um tipo de investimento de baixa rentabilidade, como a poupança, de um com rentabilidade mais alta, como a bolsa de valores (claro, dependendo das ações que você escolheu) ou fazendo trading (de forma eficiente).  Veja os exemplos abaixo.

Se você tiver R$ 10.000,00 para investir inicialmente, sem aportes depois, dez anos depois terá:

Em uma aplicação com rendimento de 1% ao mês: R$ 33.003,00

Em uma aplicação com rendimento de 2 % ao mês: R$ 107.651,00

Em uma aplicação com rendimento de 3 % ao mês: R$ 347.109,00

Em uma aplicação com rendimento de 4 % ao mês: R$ 1.106.625,00

Ou seja, você teria um acúmulo de capital de até mais de um milhão de reais maior com o mesmo valor investido durante o mesmo período! Percebe por que não é uma boa investir na poupança e qual a importância de correr atrás de uma modalidade de investimento mais promissora?

No post 7 dicas para ter mais rentabilidade e no A importância de ousar nos investimentos falamos um pouco mais sobre a diferença que uma decisão dessas fará na sua vida. Clique nos links e confira as dicas!

Para ser um investidor de sucesso você precisará se dedicar a entender e estudar o mercado, mas garanto que cada minuto do seu tempo investido valerá a pena, principalmente a cada dígito entrando na sua conta bancária. Estude, avalie e comprove: investir na poupança, definitivamente, não é um bom negócio.

Que tal começar já e aprender o passo a passo para ser um Investidor de Sucesso? Aprenda a investir com o nosso curso!