Entenda o Equilíbrio Entre os Riscos e o Retorno de Investimentos

Tempo de leitura: 3 minutos

risco de investimentosDuas faces da mesma moeda, não existe possibilidade de retorno de investimentos sem riscos. “Existe o risco que você não pode jamais correr, e existe o risco que você não pode deixar de correr.” Essa icônica frase Peter Drucker, pai da administração moderna, reflete bem essa relação que para alguns pode ser bastante complicada. Porém, para se tornar um investidor de sucesso, é indispensável compreender como funciona o equilíbrio entre os riscos e o retorno de investimentos.

 

Relação entre riscos e retorno de investimentos

O risco, nesse sentido, representa a possibilidade de ter retornos inferiores ao esperado, ou, em um pior cenário, perder todo dinheiro aplicado. Não existe investimento isento de risco, apenas aqueles que apresentam uma probabilidade muito pequena de ter qualquer complicação ou desvalorização, como a poupança. Devido a essa característica, essas aplicações possuem ganhos baixo. Já o investimento em ações tem margem de risco maior, mas também há maiores retornos sobre o investimento.

Embora pareça uma matemática simples, essa relação é um pouco mais complexa, já que investimentos de alto risco podem resultar em retornos baixos e vice-versa. Por isso, antes de começar a investir, é preciso saber como calcular o grau de risco do ativo e confrontá-lo com o retorno esperado.

 

Como calcular o risco de um ativo?

Embora esse mercado tenha uma alta taxa de volatilidade, é possível, com auxílio de dados estatísticos, saber qual a possível variação do retorno dos seus investimentos. O cálculo é realizado com base no desvio padrão do mesmo período, um índice que marca toda a variação média em uma determinada fatia de tempo.

Para entender o que é o desvio padrão, imagine a altura média dos homens de todo o planeta. Retirando aqueles valores que destoam muito da maioria, é fácil perceber que a diferença de estatura não será muito grande. Entre esses resultados, a variação tanto para baixo quanto para cima será o desvio padrão.

 

Regra dos quadrantes

Ao descobrir qual o desvio padrão de um ativo, basta utilizar um simples plano cartesiano para saber se vale a pena se arriscar pelo retorno estimado. No eixo x, você irá adicionar o desvio padrão e no y o retorno sobre o investimento. O gráfico deve ser dividido em quadrantes, sendo que a posição do seu ativo nesse esquema determina se você deve ou não investir nele.

No quadrante A ficam aqueles riscos que, como disse, Peter Drucker, “você não pode deixar de correr”, porém, esses são bem raros.

Os investidores de sucesso apostam suas fichas no quadrante B, pois nele há uma possibilidade mais alta de risco, mas também uma boa oportunidade de ganhos.

No quadrante C estão os investimentos de baixo risco e retorno, que não são tão interessantes. E por último, no quadrante D, estão aqueles ativos que nunca devem constar na sua pasta.

 

O Investidor de Sucesso

Além de saber equilibrar os Riscos e o Retorno de Investimentos, quem quer ganhar dinheiro com esse tipo de aplicação precisa conhecer a fundo como o mercado funciona. É exatamente isso que o curso “O Investidor de Sucesso” ensina. Nele você verá um passo a passo sobre como selecionar as melhores ações e ter uma margem de lucro considerável com elas.