Entenda – na prática – as principais diferenças entre renda fixa e variável

Tempo de leitura: 12 minutos

“Casa arrumada”. Finanças organizadas. Planos para começar a investir e fazer o dinheiro trabalhar para você. Mas, sua dúvida é sobre como colocar esse projeto em prática? A primeira coisa é compreender a diferença entre as aplicações em renda fixa e renda variável antes de fazer a sua escolha ; )

Primeiramente, fique tranquilo, pois esse questionamento é bastante comum entre os investidores iniciantes. Todas as pessoas que já fazem suas apostas no mercado financeiro um dia também precisaram saber tudo sobre os ativos e esses dois grandes grupos. Portanto, vá com calma!

Além ser um dos princípios da diversificação, entender o que diferencia as duas modalidades é uma regra para ingressar no universo das finanças. E somente com esse conhecimento você estará pronto para avaliar a alternativa mais adequada ao seu estilo de vida e personalidade.

Por isso, preparei o post de hoje. O tema irá lhe ajudar a identificar qual forma de investimento mais combina com você, como se planejar a partir dessa opção e a investir o seu dinheiro da forma correta. Vamos então dar uma olhada no conceito e nas diferenças entre renda fixa e renda variável?

Lhe desejo uma boa leitura e que, ao final, uma luz se acenda em suas ideias!

Renda Fixa

Renda fixaRenda fixa é a forma de aplicação cujos rendimentos ou formato de cálculo desses valores já são definidos no ato da  contratação. Os ativos costumam ser títulos de dívidas, portanto, quando investe neles, o investidor faz um empréstimo ao órgão emissor e recebe por isso.

Dessa maneira, o capital investido é devolvido ao comprador, acrescido dos juros acordados, sempre em uma data específica. Os títulos de renda fixa possuem ainda duas principais formas de remuneração e que são classificadas em grupos que veremos a seguir:

  • Pré-Fixados: A rentabilidade do título é definida no momento da aplicação em taxa de retorno anual (ex.: 11% ao ano) ou pelo valor do capital no vencimento (ex.: R$ 1.500,00 ao vencer).
  • Pós-Fixados: São títulos que pagam de acordo com a variação de algum índice. Ao comprar, você sabe qual a forma de cálculo, mas o valor real é sabido somente ao final do prazo estabelecido.

Assim, o investidor já sabe quanto e quando receberá seu retorno. E, embora a empresa tenha lucro ou prejuízo, o montante deverá ser pago conforme o combinado. Isso quer dizer que mesmo se a instituição for melhor do que o previsto o valor não será maior; e nem menor, caso vá pior.

O cálculo já pré-definido de valorização do dinheiro no futuro torna a renda fixa um investimento bastante seguro. Porém, não significa que esse tipo de ativo seja imune aos riscos. A possibilidade do emissor do título não cumprir com a obrigação existe e, embora seja mínima, não pode ser ignorada.

No entanto, algumas aplicações, como a Poupança, LCI e LCA possuem a cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Sua principal função é proteger o dinheiro dos investidores/ correntistas e assegurar que recebam suas quantias de volta caso o banco ou instituição venha a falir.

Veja exemplos de aplicações em renda fixa:

  1. Títulos públicos federais (Tesouro Direto)
  2. Certificados de Depósito Bancário (CDB)
  3. Letras de Crédito Imobiliário (LCI)
  4. Letras de Crédito do Agronegócio (LCA)
  5. Caderneta de poupança
  6. Debêntures
  7. Fundos de investimento em renda fixa

Renda Variável

Ao contrário da renda fixa, a renda variável é uma forma de investir cuja remuneração ou cálculo da rentabilidade não são pré-definidos. O mercado de ações é o exemplo mais clássico dessa aplicação, já que os preços dos ativos mudam constantemente e refletem inúmeras variáveis financeiras.

Ao comprar ações de uma companhia, o investidor torna-se sócio dela. Neste caso, a distribuição dos lucros vai depender da saúde financeira da empresa. Assim, os valores podem ser maiores ou menores conforme o desempenho que a instituição obtiver.

Portanto, é impossível prever em qual das situações o investidor estará. Mas, se ao escolher uma ação, houver métodos e critérios diante de alternativas bem avaliadas e diversificação, a renda variável pode proporcionar retornos surpreendentes e bem superiores aos da renda fixa.

É claro que a oscilação traz um risco maior ao processo, assim como as grandes emoções atreladas a ela. Porém, a questão aqui, é a forma com que você fará as suas escolhas e lidará com a situação. Às vezes é preciso arriscar para alcançar um patamar mais elevado, certo? Lembre-se disso!

Outra maneira interessante de investir em renda variável é por meio dos fundos imobiliários, onde é possível adquirir a cota de um imóvel e lucrar com seu aluguel. As quantias são pagas mensalmente e irão variar de acordo com as receitas recebidas com inquilinos.

As diferenças entre renda fixa e renda variável, portanto, estão na formação dos preços, rentabilidade e mercados. Agora conheça alguns exemplos de aplicações na categoria de renda variável:

  1. Ações
  2. Fundos de ações
  3. Fundos imobiliários
  4. Derivativos
  5. Forex

Batalha: Risco x Retorno

“Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura!”

Já vimos sobre alguns riscos atrelados a cada forma de investir, entre eles: a possibilidade do ‘calote’ em renda fixa e a oscilação do preço das ações em renda variável. Mas, você sabia que os preços e as taxas de remuneração também variam na renda fixa? Entenda!

Isso acontece devido a uma regra chamada de marcação a mercado. Com ela, os preços dos ativos são calculados conforme a taxa de juros de determinado momento do dia. Dessa maneira, o investidor que se desfaz de um título antes do seu vencimento pode ganhar ou perder capital.

Quanto à renda variável, os dividendos podem diminuir se a empresa da qual você comprou ações estiver “mal das pernas”. Perspectivas ruins de mercado para instituição também influenciam no preço, por isso é preciso ter cautela e fazer boas negociações somente na hora certa.

Por esse motivo, sempre analise risco e retorno ao mesmo tempo. Não olhe apenas os ganhos para não cometer um grande erro e, da mesma maneira, desconfie de lucros ‘mirabolantes’. Os riscos de ambas as situações podem ser muito mais altos do que você estaria disposto a correr!

Agora, a partir desse ponto de vista, qual a melhor forma de investir para você? Avalie bem, veja de qual lado da balança você está e vamos em frente!

Não tenha medo de diversificar

Renda fixa e Renda variável - diversificarVocê certamente já ouviu alguém falar: “Não ponha todos os ovos em uma única cesta”. Essa frase traduz muito bem o sentido da palavra ‘diversificar’ em investimentos. E nada mais é que do que dividir estrategicamente o seu capital em diversas apostas para reduzir os riscos e equilibrar os lucros.

Quando um tipo de ativo oscilar e registrar queda, por exemplo, outro acumulará ganhos ou se manterá inalterado, trazendo equilíbrio para carteira. Por isso, é importante estudar todas as possibilidades. Afinal, investir sem saber é fórmula para o insucesso. Não esqueça disso!

Quer ver um outro exemplo? Renda fixa e renda variável podem até parecer ‘concorrentes’ de certa forma, não é mesmo?  Mas não é nada disso! Você pode muito bem combiná-las em seu planejamento financeiro, pois suas características diferentes irão complementar sua rentabilidade ; )

E, tão fundamental quanto entender tudo isso, é conhecer você mesmo. Esteja completamente alinhado ao seus objetivos e perfil como investidor. Somente com essas informações você saberá optar pelo melhor investimento de acordo com suas necessidades.

Veja mais no próximo tópico…

Considere o seu perfil

Renda fixa e Renda variável - perfilInvestir deve ser algo agradável e divertido, não um motivo para ir ao cardiologista toda vez que uma crise pairar sobre o mercado. Assim, sempre respeite seu perfil para montar a estratégia de alocação de ativos ou qualquer uma outra. A educação financeira é um fator primordial para isso!

Normalmente, quanto mais jovem é o investidor, mais arrojado. Se tem mais idade, é naturalmente conservador. O que não é uma regra, o importante é conhecer o seu limite. Aproveite oportunidades tanto na área da renda fixa como na variável e construa um poderoso aliado para os seus investimentos.

Agora, se você precisa de uma rentabilidade em curto prazo, não tolera as oscilações do mercado e não considera aprender mais sobre a renda variável, opte, realmente, pela renda fixa. O Tesouro Direto pode ser uma excelente opção, previsível e também bastante segura.

Se você tem um perfil conservador, certamente não conseguiria ver seu dinheiro diminuir muito durante um período difícil. Neste caso, o mínimo que precisa é avaliar se o seu ativo em renda fixa lhe rende um valor acima da inflação. A ideia é que suas economias sempre cresçam. Combinado?

Já investidores com sangue frio costumam ser mais arrojados e se saem muito bem em renda variável, e, principalmente, durante as crises. Esses momentos são considerados grandes oportunidades para comprar ótimas ações por uma pechincha.  

E, mesmo assim, eles não deixam de investir na renda fixa, pois é com ela que garantem a segurança nos períodos de crise! Quer saber tudo sobre esses perfis de investimento? Então não deixe ler o próximo parágrafo. Estamos chegando à reta final para você se tornar um expert no assunto!

Raio-X dos investidores

perfil_investidor-01Perfil conservador: Os investidores que possuem esse perfil priorizam os investimentos seguros àqueles que podem render mais. Eles devem evitar aplicações de grande risco, pois na maioria dos casos, perdem a calma quando há uma variação brusca ou mudança no mercado. Encaixam-se no perfil pessoas que já estão próximas à aposentadoria ou que não têm grande reserva de capital e não podem se dar ao luxo de perder. Além disso, quem possui conhecimento raso ou inexistente sobre o mercado financeiro deve investir de forma conservadora.

Investimentos ideais: Caderneta de poupança; Tesouro Direto; CDB; RDB; Imóveis; Títulos Públicos; Mercado de Ações.

perfil_investidor-03

Perfil moderado: Encaixam-se nessa categoria pessoas com as qualidades e vícios de quem possui perfil conservador e agressivo. Embora eles possam investir em, praticamente, qualquer tipo de ativo, o mercado de ações é onde se dão melhor, já que terão maior rendimento com riscos moderados. A possibilidade de montar uma carteira bem diversificada é um dos pontos que mais chama a atenção de quem possui esse perfil. Também é comum combinarem aplicações em renda fixa e ativos de risco. Podem ser enquadrados nesse perfil: investidores que possuem patrimônio e pessoas com certo grau de conhecimento sobre finanças e formas de investir.

Investimentos ideais: Imóveis; Clubes de investimento; Fundos de Investimento; Mercado Cambial; Mercado de Ações; Fundos de Hedge.

perfil_investidor-agressivo

Perfil agressivo: Nesse grupo estão os investidores que não têm medo de apostar em negócios arriscados desde que os lucros sejam altos. Quem possui esse perfil consegue permanecer frio até mesmo nas situações mais adversas. Boa parte dos seus investimentos são destinados a mercados de grande volatilidade, como o de Forex e aplicações por alavancagem. Uma das características desse grupo é o seu alto nível de conhecimento e sangue frio na hora de tomar uma decisão. Normalmente, têm uma maior renda e poder para se recuperar de uma aplicação ruim.

Investimentos ideais: Forex, Operações por Alavancagem, Contratos Futuros, Títulos Especulativos; Mercado de Ações.

Comece agora mesmo!

Renda fixa e Renda variável - começar a investirHoje vimos as diferenças entre renda fixa e variável e você já está apto para colocar em prática todo o seu planejamento! Aprendemos também que quanto mais informado estiver, melhor preparado estará para fazer o dinheiro trabalhar para você. Mais sabedoria = menos idas ao cardiologista : )

E é exatamente isso que buscamos ao começar investir: preparação e capacidade de identificar as melhores oportunidades para ser feliz com nossas finanças. Por isso, sempre digo e repito quantas vezes preciso for… Conhecimento é poder! Essa é a verdadeira máxima dos investimentos.

Compreenda tudo sobre o mercado, compare as informações com o seu perfil e alcance um ótimo resultado sobre suas aplicações. Portanto: comece agora mesmo! Não deixe para amanhã o que você pode dar início neste momento. E conte sempre comigo ; )

Espero que tenha gostado do post de hoje!

E, se aprovou, lembre-se de comentar em minhas redes sociais e compartilhar com os amigos!

Abraços.