Educação financeira para crianças: como começar?

Tempo de leitura: 6 minutos

educação financeira para criançasCrianças que recebem educação financeira possivelmente terão mais facilidade para lidar com dinheiro e mais prosperidade na vida adulta. É por meio do aprendizado adquirido principalmente com os pais que que elas estarão mais propensas a alcançar a liberdade financeira.

Se você tem ou pretende ter filhos, é importante que desde cedo transmita alguns conceitos valiosos para que eles entendam como funciona a dinâmica de receber, gastar e investir dinheiro. É possível também adotar algumas atitudes que passem a estimular as crianças e adolescentes a valorizarem suas conquistas, terem objetivos e se esforçarem para alcançá-los.

Com as dicas que  daremos nesse post você vai conseguir preparar seu filho para tornar-se um Investidor de Sucesso rico no futuro:

O que é ser rico?

Em primeiro lugar, é importantíssimo que você reserve um tempo para conversar periodicamente com seu(s) filho(s). Como falamos no post A importância da educação financeira, ter inteligência financeira é ir além da simples educação financeira básica: é aprender a lidar com dinheiro de tal maneira que essa gestão garanta a qualidade de vida.

Que tal começar perguntando para a criança ou o adolescente qual a opinião dele sobre “ser rico”? É uma boa forma de se iniciar uma conversa e identificar possíveis distorções de conceitos. É interessante deixar claro que ser rico envolve não apenas trabalhar e descobrir formas de ganhar dinheiro, mas, principalmente de saber administrá-lo, separando um montante para as necessidades e outro montante para poupar visando um objetivo maior.

Postura positiva diante do dinheiro

A programação mental de cada indivíduo influenciará suas posturas e atitudes que, no futuro, contribuirão para o padrão de vida que vão conquistar para suas famílias (Falamos sobre isso  no post Pai Rico, Pai Pobre, confira!).

Desta forma, a educação financeira será bem-sucedida se, ao invés de incutir na cabeça da criança ou jovem pensamentos do tipo “não tenho dinheiro para comprar isso”, substituí-los por questionamentos que levam à ação e à resolução de um problema, como “o que posso fazer para comprar isso?”.

Vontade X necessidade

Desde cedo, inclua as crianças no planejamento financeiro familiar. Vocês podem agendar uma conversa todo dia 30 do mês, por exemplo, para discutir objetivos e ajustes no orçamento e iniciativas para alcançá-los.

É essencial que elas entendam que existem prioridades, que as despesas com moradia, alimentação e educação vêm em primeiro lugar e que se a família toda quer fazer uma viagem para um resort nas férias escolares, por exemplo, é preciso empreender algum esforço, como racionar água e energia e limitar os gastos com o celular. (Nesse post aqui damos várias dicas interessantes para que sua família consiga se planejar para alcançar a independência financeira)

Esforço e merecimento

As crianças e adolescentes precisam ter consciência de que para satisfazer uma vontade é preciso dedicar-se, seja por meio de um esforço para ganhar dinheiro – trabalhando ou empreendendo -, seja fazendo escolhas – deixando de comprar um gibi hoje para pagar a entrada de um espetáculo ou de um parquinho no fim do mês.

Sabe aquele hábito antigo que algumas crianças tinham de fazer limonada para vender na rua e conseguir um dinheirinho? Pois é extremamente saudável incentivá-las a empreender com atitudes como esta! Converse e pergunte pelo que elas se interessam e estimule-as a pensar no que poderiam fazer para ganhar dinheiro: vender seus brinquedos, livros e gibis ou fazer pequenos serviços são apenas algumas ideias para incentivá-las a buscar o que gostam para atingir seus objetivos.

Apenas tome cuidado para não atrelar os ganhos às obrigações que as crianças já devem ter normalmente, como estudar, cuidar da higiene, respeitar as regras em casa e na escola. Essas são obrigações e valores que elas precisam ter independente de remuneração.

No caso de um adolescente, se ele está querendo fazer um curso extracurricular, por exemplo, você pode estimulá-lo a procurar por um estágio para financiá-lo com seu próprio dinheiro.

A importância da mesada

Um passo importante para ensinar seu filho a lidar bem com o dinheiro para, no futuro, vir a ser um Investidor de Sucesso, é dar mesada desde a primeira infância. Para crianças até os 6 anos pode-se dar pequenas quantias esporadicamente para pequenas compras, como sorvetes e balas, por exemplo. Desta forma, a criança vai aprendendo a administrar o dinheiro desde cedo e cresce sem tabus sobre o tema.

Dos 6 aos 8 a mesada pode ser, na verdade uma “semanada”, pois elas ainda têm uma certa dificuldade de lidar com períodos mais longos. Dos 8 aos 10 anos, pode-se começar a transição para uma mesada quinzenal. A partir dos 10, então, as crianças já têm condições de se planejar melhor para o período de um mês.

Os benefícios da mesada para crianças e adolescentes incluem desenvolver o senso de responsabilidade, a familiaridade com planejamento e o controle de impulsos de consumo, itens essenciais para formar um adulto rico e independente financeiramente. Mas, para que isso aconteça, os pais não devem ceder aos pedidos de dinheiro extra, caso a criança ou adolescente extrapole os valores combinados. Se isso acontecer, a mesada perde a função de educação financeira para a formação do futuro investidor.

Ensine a planejar

Ao mesmo tempo em que os pais fornecem a mesada, precisam passar orientações constantes para os filhos e ajudá-los a encarar as dúvidas e as tentações de comprar por impulso. Converse muito e busque fazê-los entender suas prioridades e que, se gastarem com produtos que garantem uma alegria passageira, estarão fazendo uma escolha que pode dificultar a conquista de algo que eles querem muito, como comprar um determinado brinquedo ou ir ao show de sua banda preferida.

Se você sentir que a criança aceita bem, ajude-a listar seus objetivos, o valor que recebe por mês e a anotar seus pequenos gastos – uma cadernetinha ou um aplicativo no celular são bem-vindos nesse caso.

Exemplo é a melhor educação financeira para crianças

Como falamos antes, envolver as crianças no planejamento financeiro familiar é uma aula e tanto de educação financeira. Quando os pais são exemplos de organização e controle financeiro é ainda melhor e mais fácil conduzi-las para a independência financeira na vida adulta.

No vídeo abaixo você confere outras dicas para educar seu filho financeiramente: