Como investir na Bolsa de Valores com pouco dinheiro

Tempo de leitura: 10 minutos

Ainda que pensar grande seja essencial para o seu sucesso, não só de grandes montantes de investimentos vive a Bolsa de Valores. Nos últimos anos, a mudança na política de juros para a compra e venda de ações permitiu o acesso de pequenos investidores a esse ambiente. Essa realidade ocorreu, principalmente, graças à diminuição das taxas de juros dessas modalidades de operações, tornando o investimento em renda variável uma excelente oportunidade para você acumular patrimônio e conquistar sua independência financeira. Neste post, você vai aprender como investir na Bolsa de Valores com pouco dinheiro.

Minha experiência como Investidor de Sucesso me mostrou que, para se tornar um investidor, você não precisa necessariamente de uma economia estável e um mercado em alta, mas deve contar com estratégias que possam performar bem mesmo em meio à crise e à queda do mercado. Com um capital de R$ 1.000 já é possível começar seus investimentos, sem nem mesmo a necessidade de depósitos mensais e com a certeza de que suas aplicações terão rendimentos. Neste post eu vou falar de outras opções para iniciar com valores até menores, como é o caso dos ETFs – Exchage Traded Funds.

Essas estratégias fazem parte de um método que eu quero te apresentar aqui Ficou interessado? Vamos em frente!

Por que investir na Bolsa de Valores

investir na bolsa de valores com pouco dinheiro rentabilidade
Os investimentos na Bolsa acontecem por meio de negociações de compra e venda de ações de empresas de capital aberto (públicas e privadas) e derivativos. Só o fato de você ter a
possibilidade de se tornar sócio ou sócia de grandes e médias empresas com um investimento muito baixo já é um grande motivo para você investir na Bolsa de Valores.

As alternativas de rendimentos acontecem de duas formas básicas: ou você lucrará com os lucros dessas empresas ou com o aumento do patrimônio delas. Nesta última, seu lucro tem origem tanto na distribuição de dividendos quanto no aumento do valor das empresas – que aumenta o valor da ação e que, por sua vez, aumenta o seu patrimônio.

Investir na Bolsa de Valores também permite se sócio de empresas de diversos setores por meio da diversificação. Trata-se de uma estratégia muito comum e aconselhável que permite aplicar seu capital em empresas de setores diferentes. Como os investimentos não ficam concentrados, você se exime de riscos advindos de oscilações econômicas, por exemplo.

Por fim, a Bolsa é considerada o melhor veículo de investimento para crescimento de capital de forma passiva. Se você ainda está em dúvida de que existem bons motivos para investir na Bolsa, confira este post especial sobre as vantagens e desvantagens de investir em ações que eu resgatei da minha experiência como Investidor de Sucesso.

Como perder dinheiro ao investir na Bolsa de Valores

Desde que resolvi compartilhar com mais de 7 mil pessoas o meu método de investimento na Bolsa de Valores, venho percebendo que a maior dificuldade de quem está começando é o controle emocional. Por não conhecerem exatamente como acontecem as operações, há pessoas que acabam investindo na Bolsa de Valores como se fosse um cassino.

Ao se deixar levar por emoções como falta de coragem, as pessoas tiram o dinheiro aplicado quando sofrem uma perda. Em outro viés, o excesso de confiança as faz aplicar mais dinheiro ao obter algum ganho. Esse mindset vencedor é um tema bastante recorrente no mercado de investimentos, pois você precisa ter em mente que a bolsa é lugar para longo prazo.

Isso não significa que basta você investir e esperar que o lucro aconteça. Não! Você precisa, além de investir, também cuidar do seu investimento, dando tempo para que os juros compostos façam efeito e para que as ações se recuperem em caso de quedas momentâneas ou para que valorizem em caso de alta no mercado econômico.

Por isso, quero deixar claro para você que a Bolsa de Valores não é um tipo de investimento para você comprar aquele carro dos sonhos no fim do ano. Ao investir na bolsa, seu maior objetivo deve ser o acúmulo de capital para que, no futuro, você possa viver dos rendimentos provindos desse patrimônio e alcançar sua independência financeira.

O que influencia no preço das ações

investir na bolsa de valores gráficoComo já mencionei, a principal forma de valorização das ações está no aumento do valor da empresa que você investir. Em curto prazo, o valor da ação poderá disparar para mais ou para menos. Porém, mesmo com oscilações, em longo prazo o valor acompanha o desenvolvimento da empresa, já que sua ação é uma pequena parte dela.

Entre outros fatores, estão as condições da economia nacional e internacional e, mais especificamente, do setor em que sua ação está inserida. Neste caso, em primeiro lugar você deve levar em consideração a macroeconomia (PIB/importações/exportações) e, em seguida, a microeconomia (fatores climáticos/favorabilidade do mercado).

Um último fator de influência, muito comum entre investidores iniciantes, é o sentimento social em relação à empresa e ao mercado incentivado pela imprensa. Empresas como a Petrobras, que já teve destaque na Bolsa, hoje já não é mais garantia de bons retornos, muito devido aos escândalos político-econômicos divulgados pela mídia.

O mais importante, para você que também está iniciando neste mercado, é saber que, no fim das contas, o mercado econômico é totalmente imprevisível. Nem mesmo os grandes pesquisadores e investidores conseguem prever uma realidade absolutamente estável. Entretanto, a aplicação de um método eficiente fará toda a diferença nos seus lucros.

Como investir na Bolsa de Valores com pouco dinheiro

investir na Bolsa de Valores com pouco dinheiro ETFVocê pode começar a investir na Bolsa de Valores com pouco dinheiro por meio dos ETFs, ou Exchange Traded Funds, uma modalidade de investimento que tem se tornado cada vez mais popular no Brasil. Considerados uma ótima alternativa para quem está começando, eles caracterizam-se por fundos que permitem acesso uma cota de uma carteira de ações. Aos poucos, eles vêm substituindo os fundos de ações oferecidos pelos bancos.

Os ETFs são semelhantes ao FII – Fundo de Investimento Imobiliário, em que você adquire uma cota de um imóvel. Em comparação com as as ações tradicionais, suas transações acontecem da mesma forma, ou seja, com grande facilidade de negociação. Eles também são uma alternativa melhor do que os fundos de investimentos em ações, que apesar da vantagem de diversificação, não garante retornos consideráveis.

Em comparação com a aplicação de capital direto em uma carteira de ações bem montada, por exemplo, os ETFs perdem em rentabilidade. Por outro lado, eles servem como pontapé inicial para quem tem pouco dinheiro. Caso você não tenha R$ 10.000 para montar uma carteira de ações, é possível começar com R$ 50 comprando diretamente um ETF. Mais adiante, eu vou te mostrar como escolher uma boa carteira de ações para seguir.

As grandes vantagens dos ETFs estão na liquidez diária e nas taxas de administração menores, por volta de 0,5%. Lembrando que este é um investimento com rendimentos em longo prazo, já que a carteira se atualiza sozinha, podendo vendê-la ou comprá-la e mantê-la aplicada. Para efetuar essas operações, é indispensável a contratação de uma Corretora de Valores, como mostrarei no tópico a seguir.

Como escolher uma Corretora para investir na Bolsa de Valores

A única maneira de você ter acesso à bolsa é abrir uma conta em uma Corretora de Valores, instituições responsáveis por acompanhar as empresas de capital aberto, estudando o mercado e recomendando os investimentos mais rentáveis. Confira os aspectos principais no momento de escolher sua corretora.

  • Atendimento: além de certificar-se da qualidade do atendimento, procure testar todos os canais de atendimento disponíveis. A agilidade nos retornos poderá ser definitiva na tomada de decisões dos seus investimentos.
  • Home Broker: procure referências e experimente testar a plataforma de investimento da corretora. Além de ser estável, ter bom desempenho e oferecer análises importantes para ETFs, ela precisa ser intuitiva, ágil e fácil de operar.
  • Custos: geralmente, quem começa a investir na Bolsa de Valores por meio dos ETFs tem a vantagem de taxas de corretagem mais baixas que as praticadas em ações. Ainda assim, se você vai começar com mais de R$ 3.000 por mês, prefira uma corretora mais robusta.

Mesmo que os especialistas da sua corretora sejam capacitados para sugerir as melhores opções de investimentos, você tem livre-arbítrio para aceitá-las ou não. Por isso, é importante que você tenha um certo conhecimento das dinâmicas econômicas e financeiras para analisar o mercado e tomar as suas próprias decisões. Neste caso, o método também ajuda muito.

Tendo definido a sua Corretora de Valores, chega a hora de escolher a carteira de ações que você vai seguir. Veja no próximo tópico como escolhê-las.

Como escolher uma carteira de ações

investir na Bolsa de Valores com pouco dinheiro
Para saber se você deve ou não investir em ETFs, basta usar uma matemática simples: se você tem mais de R$ 10.000 de capital, prefira investir em ações; se você tem menos de R$ 10.000 de capital, prefira investir em ETFs. Algumas orientações devem ser seguidas no momento da escolha da carteira de ações que você seguir.

Ao optar por uma Corretora de Valores que ofereça boas análises, você vai receber sugestões semanais, mensais ou trimestrais de carteiras recomendadas, sobretudo, pelo seu bom histórico. Com base nesse estudo, você poderá avaliar várias carteiras para definir qual delas tem as ações mais rentáveis.

Procure perceber também se as ações da carteiras possuem diversificação, que será a sua grande segurança enquanto investidor. Isso diminui muito o risco específico das empresas e protege você de riscos sistêmicos sendo sócio ou sócia de boas empresas. Abaixo você confere algumas opções de ETFs em que você pode investir:

DIVO11: Carteira de ações que seguem o índice de empresas que pagam bons dividendos.

SMAL11: Carteira de ações que seguem o índice de pequenas/médias empresas, ou seja, aquelas de menor capital na bolsa.

BOVA11: Carteira de ações que seguem o índice Bovespa (não é muito interessante para quem está começando).

Logicamente que estas são apenas algumas das opções de ETFs e que a escolha de carteiras de ações depende de vários outros fatores, sobretudo o emocional. Porém, ao aplicar o método de seleção de carteiras, você evita o peso das decisões e consegue escolher seus ETFs de forma muito mais adequada ao seu perfil de investidor.

E aí, que método é esse?

investir na Bolsa de Valores com pouco dinheiro estudarJá são mais de 10 anos de carreira como Investidor de Sucesso, aplicando capital nos mais variados tipos de investimentos rentáveis e acumulando patrimônio. O meu objetivo sempre foi o mesmo: conquistar minha independência financeira. Ao longo desse tempo, eu criei e testei um método exclusivo investir em ações começando do zero.

Clique aqui e aprenda como investir na Bolsa de Valores com pouco dinheiro e iniciar seus investimentos de forma eficaz.

Até o próximo post!